homenagem

OAB-BA concede título de advogado a Cosme de Farias, o 'Advogado dos Pobres'

A proposta foi feita pela Comissão da Igualdade Racial

24/08/2021 19h40
Por: Redação
122

Na última sexta-feira (20), a OAB da Bahia aprovou a concessão a Cosme de Farias do título de advogado. Cosme de Farias, que viveu entre os anos de 1875 e 1972, foi um rábula e político que tornou-se ícone da defesa dos pobres e liberdades democráticas no foro, e da luta contra o analfabetismo em Salvador. 

A proposta foi feita pela Comissão da Igualdade Racial, presidida pela advogada Dandara Pinho. No voto do relator Luis Vinícius de Aragão foi ressaltado que na historiografia brasileira não é comum encontrarmos figuras que defenderam os menos favorecidos no âmbito jurídico. 

Dentre os feitos notáveis de Cosme de Farias, destacou-se o processo de libertação de Dadá, esposa do cangaceiro Corisco, a criação da Liga Baiana Contra o Analfabetismo e a luta contra a ditadura militar. Além disso, o homenageado atuou em mais de 30 mil processos e foi considerado o "campeão de habeas corpus da Bahia".

"O candidato ao título foi chamado de 'Advogado dos Pobres' e é o último grande Rábula do país. Ele tinha como clientes prostitutas, pobres que morreriam na cadeia sem serem julgados e o povo preto de Salvador e do Recôncavo Baiano", destacou Luis Vinícius.

A conselheira Maíra Vida destacou que esse reconhecimento é um dos pontos altos da gestão e que quem realmente ganha com o título é a OAB. "Não estamos dando um título a Cosme de Farias, mas apenas reconhecendo uma construção histórica que vem carregada de uma carga simbólica", disse.

O vice-presidente do IAB, Antônio Menezes, parabenizou a OAB da Bahia pela iniciativa e destacou que Cosme de Farias foi um advogado diplomado e consagrado pelo povo. Ele relembrou que Cosme foi uma figura amada em nosso estado e que nos desfiles de 2 de Julho só era menos popular que o Caboclo e a Cabocla. "O seu sepultamento foi o maior cortejo que essa cidade já viu", contou. 

O presidente da OAB da Bahia propôs e foram aprovadas moções de aplauso à Comissão da Igualdade Racial, ao voto de Luis Vinícius de Aragão e ao homenageado. "Pra mim, vivemos hoje um grande momento e ouvimos um dos votos mais brilhantes do triênio", disse Fabrício Castro.  

Ele1 - Criar site de notícias