Eleições OAB

Chapa OABpraValer defende voto dos advogados inadimplentes

Dinailton questionou qual será a legitimidade que um candidato terá ao ser eleito por uma pequena parcela da categoria.

06/11/2021 15h21Atualizado há 3 semanas
Por: Redação
302

“Queremos que os advogados votem nas eleições da OAB-BA no próximo dia 24, e vamos lutar para isso”. A afirmação oi feita pelo candidato à presidência da Ordem, Dinailton Oliveira, pela chapa OABpraValer, em entrevista ao apresentador do programa Estação Bahia, na Rádio Cruzeiro, Jorge  Ribeiro, na tarde desta sexta-feira (5). Para ele, é inadmissível que apenas 10% da categoria, composta de mais de 70 mil profissionais, fiquem em condições de exercer esse direito, “ainda mais em tempos de pandemia, quando grande parte enfrentou dificuldades para exercer a função”.

Dinailton questionou qual será a legitimidade que um candidato terá ao ser eleito por uma pequena parcela da categoria. Enquanto isso, segundo ele, as candidaturas do grupo que está no poder da OAB ostentam, com “campanhas milionárias, comitês luxuosos, instalados em locais caríssimos, com comes e bebes e festinhas, para buscar o voto dos advogados desavisados, que ainda não têm a consciência do quanto a Ordem é importante para cada um de nós. Lançar chapa em restaurante de luxo, não é a realidade da advocacia”.

Para o candidato, há uma falsa ideia de que existem advogados demais na sociedade. O que falta, na sua opinião, é uma estrutura digna do Poder Judiciário para permitir o amplo exercício profissional da categoria. Se isso ocorresse, “poderíamos ter 200 mil advogados vivendo da profissão que abraçou”. Mas a realidade atual, enfatizou, são 151 Comarcas na Bahia sem juízes titulares, “o que demonstra toda uma fragilidade que só faz prejudicar os advogados e o cidadão”.

 Dialogo e enfrentamento

 Por isso, ele voltou a reafirmar o propósito de lutar pela reestruturação do Poder Judiciário, a exemplo do que fez na sua gestão de 2004-2006, quando organizou a campanha ‘Justiça Pra Valer”. Essa atual configuração do Judiciário”, segundo Dinailton, levou um grupo de colegas a propor sua candidatura “para retomar, com altivez, abrindo as portas da OAB para os advogados e a sociedade em geral”.

 E, para fazer valer esse voto de confiança, Dinailton diz que pretende já, ainda em campanha, dialogar com os três poderes (Executivo, Legislativo e Judiciário), em visitas pré-agendadas, para discutir uma estrutura de Estado capaz de realmente atender ao cidadão nos seus direitos. Em especial, um Poder Judiciário eficiente a fim de que os advogados possam atuar sem as dificuldades hoje vivenciadas. “Primeiro, o diálogo. Caso contrário, iremos para o enfrentamento com quem quer que seja”.

Ele1 - Criar site de notícias