Economia

Caminhoneiros bloqueiam portos, mas rodovias estão liberadas

Governo federal obteve liminares que impedem fechamento das vias; representantes do setor tentam derrubar decisões judiciais

01/11/2021 12h57Atualizado há 4 semanas
Por: Redação
Fonte: R7
365

Enquanto o governo federal comemora não haver bloqueios de rodovias pelo país, os representantes dos caminhoneiros dizem que as manifestações existem, com a paralisação de ao menos quatro portos nacionais. 

"Há bloqueios nos Porto de Santos, de Recife, do Espírito Santo e da Bahia", diz o presidente da Abcam (Associação Brasileira de Caminhoneiros), José da Fonseca Lopes.

A entidade, com 600 mil associados, é contrária à greve.

"Não tem paralisação nenhuma, tem bloqueio. Tem um grupo das áreas portuárias que não está deixando os caminhoneiros trabalharem", afirma Fonseca Lopes. 

A orientação da Abcam aos caminhoneiros hoje é evitar os portos e esperar para ver como estará a situação na quarta-feira (3). "Hoje é véspera de feriado e amanhã estará tudo parado. Então hoje é melhor ficar em casa."

O dirigente analisa que os grupos que defendem a greve não entendem que é, segundo ele, inconstitucional exigir da Petrobras que baixe o preço do óleo diesel. "O problema é mundial, nós temos o frete tabelado, só que a maioria [dos caminhoneiros] está aí nessa ilusão."

Mais cedo, a CNTTL (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transporte e Logística), uma das organizadoras da greve, divulgou em seu Twitter paralisações no Porto de Santos e em uma rodovia de Ijuí (RS).

Também estão por trás dos protestos a CNTRC (Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas), a Abrava (Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores) e o Sindicam (Sindicato dos Transportadores Rodoviários Autônomos de Bens da Baixada Santista e Vale do Ribeira). Todas foram procuradas pelo R7, mas não se posicionaram até a publicação desta reportagem.

Em três boletins divulgados na manhã desta segunda, o Ministério da Infraestrutura afirmou que não houve qualquer bloqueio em rodovias federais do país. 

A pasta também informava que existiam duas aglomerações de caminhoneiros apenas, uma na parte do Rio de Janeiro da rodovia Presidente Dutra e outra em Goiânia (GO). E denunciava vandalismo no Porto de Santos. 

Briga judicial

A falta de bloqueios pode ser explicada em parte pelas vitórias na Justiça do governo federal no fim de semana, que conseguiu liminares impedindo as paralisações em determinados pontos do país.

O líder da greve dos caminhoneiros de 2008, Wallace Landim, o Chorão, afirma que a categoria trabalha para derrubar no STF (Supremo Tribunal Federal) as liminares conquistadas pelo governo para impedir a paralisação.

Ele1 - Criar site de notícias